sábado, janeiro 27, 2007

Salve Borges!

Olá amigos... pensando bem, nesta última temporada de férias 2006/2007, nunca vi tamanha pobreza de programação em nossas salas de cinema, pelo menos em Fortaleza e Cariri. É desestimulante depois de ver outras maravilhas mundo afora e voltar aqui pra nossa "líquida" cultura de cinema.

Líquida porque não há um background consistente em torno da cinefilia ou produção de audiovisual. O famoso sociólogo Zygmunt Bauman já nos avisa em sua Modernidade Líquida sobre o reinado das relações solúveis e inconsistentes dos últimos anos. Uma transição de películas sem açúcar, com gosto travoso de triviliadade é o que nos oferecem.

Mas claro que continuam acontecendo boas temporadas de cinema em muitas praças. Apenas não consigui assistir a um filme sequer em nossa Capital e nem muito menos em nossas salas de exibição caririanas. Pobreza de programação é alcunha educada . No bom "cearês", é de lascar!

A única ressalva fora brilhar os olhos com uma mostra sobre o diretor Kristof Kieslowsky. Em pleno verão portueño, lá no Centro Cultural Borges, na bela Galerias Pacífico, uma riqueza de programação para sorte de um turista desanimado. Nada menos que o decálogo completo do diretor polonês. Até então, só havia assistido a Não Amarás e Não Matarás. Os únicos títulos que ele adaptou ao cinema, sendo todos os dez filmes originais realizados para a TV polonesa nas últimas décadas do milênio passado.

Kieslowsky soube nos deixar um grande aprendizado em seu cinema. Como ele mesmo assinalava, "a liberdade é um conceito contraditório com a natureza humana". Até mesmo gostaria de ver sua arte na interpretação do Amor Líquido discutido por Bauman.

Mas, acabo de ler os jornais, a agenda cultural. Lamentavelmente, está difícil ir ao cinema hoje. Parece que os blockbusters aumentam nas vésperas do insubstancial Oscar!

3 comentários:

Dihelson Mendonça disse...

Ô, irmão, seu Blog é belo! A própria forma de desenhá-lo já é uma obra de arte. Acho que vc iria gostar de conhecer o fotógrafo Pachelly jamacaru e seu acervo. Ele não fotografa, ele faz poemas em fotos...

Um grande abraço,

Dihelson Mendonça

Alyne Costa disse...

Verdade, a falta do cinema nos emudece, nem sei pq me lembrei agora de 21 gramas. Não gostei do filme, ama afalta de filmes bons, cá pras bandas dos ertão bainao me tornou nostálgica...

Salete Maria disse...

Caro professor Glauco, gostei de seu blog...parabéns...que tal um filme sobre Maria de Araújo? Já viu meu cordel intitulado Maria de Araújo e seu lugar na história? veja no www.cordelirando.blogspot.com
abraço
saletemaria